Por Bárbara Santucci

Click here to edit subtitle

Blog

Experiências de uma ex-vestibulanda - 1o trimestre

Posted by Bárbara Santucci Teixeira on January 7, 2016 at 11:00 AM Comments comments (0)

  2015 foi o ano em que a famosa pergunta "o que você quer ser quando crescer?" esperava ansiosamente por uma resposta. Os sonhos e idealizações perderam espaço para a realidade e mesmo que me dissessem "tudo bem, se você não gostar, você muda mais para frente", o meu desejo não era esse. Afinal, não devia ser tão difícil combinar as minhas idealizações à realidade, tornando-as realizações. Infelizmente, foi. E por saber da dificuldade de muitos em enfrentar esse complicado ano, resolvi compartilhar com vocês a minha experiência diante do meu último ano na escola o ano do tão esperado e temido vestibular, em uma série de postagens divididas de acordo com os trimestres de 2015. Cada trimestre de aula será acompanhado de uma postagem sobre a minha experiência toda semana do mês janeiro. Espero que gostem e seja uma forma de ajudar aos que estão passando por esse momento!

 

Baci Baci,

 

Babi. 


Apresentação do Terceiro Embala

PRIMEIRO TRIMESTRE:

 

O ano começou como todos os outros, com uma pequena, mas gigante diferença: o único assunto era VESTIBULAR. E mesmo sabendo que o ano passa voando, os vestibulares pareciam muito distantes e muito perto simultaneamente. Distantes porque estávamos em fevereiro e isso dava um espaço de aproximadamente nove meses até as provas, ao mesmo tempo que noves meses pareciam insuficientes para estudar, rever e viver. De qualquer forma a minha maior preocupação no primeiro trimestre do ano foi decidir o curso que iria prestar.

 

Foi quando eu procurei o orientador dessa área do meu colégio, o furacão ruivo, Diniz. Sentamos juntos na sala dele em uma reunião e discutimos muito sobre o meu futuro. Eu disse que queria Jornalismo de moda e que meus planos eram de ir embora do Brasil, uma vez que Jornalismo, curso que eu tanto desejava, não era muito valorizado aqui e não estava muito confiante quanto à qualidade das faculdades. Na época, o fato de não necessitar de diploma para exercer a carreira além de me assustar um pouco, me passava a ideia de profissão desvalorizada. Fui orientada a não sair por muitos motivos, os quais me abriram a oportunidade de conhecer as faculdades brasileiras de forma mais aprofundada e que me impressionou muito de forma positivo, mas isso fica para o post da semana que vem! Ele me recomendou fazer, sim, a faculdade, porque em um mercado tão fechado, como o da moda, qualquer diferencial tem efeito e importância.

 

A segunda dúvida que levei para o Diniz era se seria mais vantajoso eu cursar Moda antes de Jornalismo, já que o curso Jornalismo de Moda não existe no Brasil, e mais uma vez ele me salvou quando me orientou a fazer a faculdade de Jornalismo antes da de Moda, posto que abriria a minha cabeça para o mundo e por diversas outras razões, as quais sou de imensa gratidão por terem sido apresentadas a mim! A partir desse reunião, grande parte das minhas dúvidas tinham sido esclarecidas e cada vez mais eu tinha certeza do que eu queria. Foi assim por todo o ano. Mesmo com toda a pressão e circunstâncias do último ano de escola, os professores, orientadores e profissionais do colégio sempre deram muito apoio aos alunos.

 

Além de um trimestre em que procurei muito ter certeza do que eu queria, os três primeiros meses de aula foram de euforia com a apresentação e eventos do terceiro, o meu eterno Terceiro Embala! Eventos dos mais diversos: desde a apresentação temática do ano até as confraternizações para arrecadação de fundos para a festa de formatura. Ou as vendas de trufas e e os amistosos do intervalão. Momentos como esses foram simplesmente essenciais não só no primeiro trimestre, mas durante todo o ano. O estudo e a busca pelo curso ideal são de suma importância, mas era inviável não ter uma ocasião de descontração.

 

Em resumo, meu primeiro trimestre foi marcado pelo descobrimento e busca do curso que mais se encaixava com o meu perfil, os meus desejos e as minhas ambições, e pelo início de uma fase e um grupo que jamais será esquecido, o Terceirão 2015 do Colégio São Luís!

Bandeirão Terceiro Embala